ANSIBLE SERIES: h.t.wrt* … tasks, plays e books: handlers

CONT. 🔝

🔙 ANTERIOR: BLOCKS

Visto no final do post passado, numa breve participação coadjuvante, e já tendo aparecido em outras oportunidades aqui no BLOG, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre os handlers (traduzindo para o português: manipuladores). Objetiva e diretamente, são um tipo de tarefa que apenas se auto executa quando recebe uma notificação. Por exemplo, reiniciar determinado serviço (daemon) se, e somente se, alguma task modificou sua configuração. Em oposição, não fazer absolutamente nada enquanto tal permanecer inalterada. Outro fato importante, e assim como as variáveis, cada handler precisa ser nomeado exclusivamente.

  • Exemplo;
  • Controlando a execução de um handler (WHEN);
  • Usando variáveis com handlers;

06-a. Handler Example

A seguir, o playbook verify-apache.yml, apresentando uma play com handler simples:

---
- name: Verify apache installation
  hosts: webservers
  vars:
    http_port: 80
    max_clients: 200
  remote_user: root
  tasks:
  - name: Ensure apache is at the latest version
    ansible.builtin.yum:
      name: httpd
      state: latest

  - name: Write the apache config file
    ansible.builtin.template:
      src: /srv/httpd.j2
      dest: /etc/httpd.conf
    notify:
    - Restart apache

  - name: Ensure apache is running
    ansible.builtin.service:
      name: httpd
      state: started

  handlers:
    - name: Restart apache
      ansible.builtin.service:
        name: httpd
        state: restarted

Continuando, mais um playbook. Entretanto, agora é a vez de uma task (anteriormente foi uma play) ser responsável por notificar. Serve para demonstrar que uma única task é capaz de notificar mais de um handler simultaneamente:

- name: Template configuration file
  ansible.builtin.template:
    src: template.j2
    dest: /etc/foo.conf
  notify:
    - Restart memcached
    - Restart apache

  handlers:
    - name: Restart memcached
      ansible.builtin.service:
        name: memcached
        state: restarted

    - name: Restart apache
      ansible.builtin.service:
        name: apache
        state: restarted

06-b. Controlando a execução de um handler (WHEN)

Devido a sua concepção, manipuladores são executados depois que todas as tarefas em uma determinada play foram concluídas. Tal método é eficiente pois o manipulador é executado apenas uma vez, independentemente de quantas tarefas o notificam. Por exemplo, se várias tarefas atualizam um arquivo de configuração e notificam um manipulador para reiniciar o Apache, o Ansible pula o Apache apenas uma vez para evitar reinicializações desnecessárias.

Caso necessite que os handlers sejam executados bem antes do final da execução, basta adicionar uma task que os liberte para tal. Faça uso do ‘meta module’ presente no ansible-base, chamando-o para que o Ansible execute ações:

tasks:
  - name: Some tasks go here
    ansible.builtin.shell: ...

  - name: Flush handlers
    meta:flush_handlers

  - name: Some other tasks
    ansible.builtin.shell: ...

A tarefa meta: flush_handlers aciona todos os manipuladores que foram notificados naquele ponto da play em específico.

06-c. Usando variáveis com handlers

Talvez queira que seus manipuladores usem variáveis. Por exemplo, se o nome de um serviço variar ligeiramente de distro para distro, você espera que sua saída mostre o nome exato do serviço reiniciado para cada máquina de destino. Por isso, evite colocar variáveis no nome do manipulador. Como os nomes do manipulador são modelados desde o início, o Ansible pode não ter um valor disponível para um nome como este aqui:

handlers:
# This handler name may cause your play to fail!
- name: Restart "{{ web_service_name }}"

Se a variável usada no nome do manipulador não estiver disponível, toda a execução falhará. E antes que pense, não! Alterar essa variável “durante” não resultará em um manipulador recém-criado.

Em vez disso, coloque variáveis nos parâmetros de tarefa de seu manipulador. Você pode carregar os valores usando include_vars como este:

tasks:
  - name: Set host variables based on distribution
    include_vars: "{{ ansible_facts.distribution }}.yml"

handlers:
  - name: Restart web service
    ansible.builtin.service:
      name: "{{ web_service_name | default('httpd') }}"
      state: restarted

Os manipuladores também podem “ouvir” tópicos genéricos e as tarefas podem notificar esses tópicos da seguinte maneira:

handlers:
  - name: Restart memcached
    ansible.builtin.service:
      name: memcached
      state: restarted
    listen: "restart web services"

  - name: Restart apache
    ansible.builtin.service:
      name: apache
      state: restarted
    listen: "restart web services"

tasks:
  - name: Restart everything
    ansible.builtin.command: echo "this task will restart the web services"
    notify: "restart web services"

Isso torna muito mais fácil acionar vários manipuladores. Ele também desacopla os manipuladores de seus nomes, facilitando o compartilhamento de manipuladores entre playbooks e roles (especialmente ao usar funções de terceiros de uma fonte compartilhada como o Ansible Galaxy).

REFERÊNCIAS:

https://docs.ansible.com/ansible/latest/user_guide/playbooks_handlers.html#handlers

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s